07 de abril de 2021 0 visualizações 0 comentários imprimir
  • UNIDADES ESCOLARES MUNICIPAIS FORAM ALVO DE LADRÕES
    Qualquer local que abrigue bens materiais de algum valor está vulnerável a ocorrências capazes de comprometer a segurança e o acervo/patrimônio do ambiente. As escolas, por apresentarem tais características, se expõem muito abertamente a furtos desta natureza. As estatísticas comprovam que os furtos e assaltos contra estabelecimentos de ensino vêm crescendo a cada dia em todo o país. Some-se a isso o aumento considerável da criminalidade, tráfico de drogas e crimes dos mais variados tipos nestes tempos de pandemia. Na nossa cidade não está sendo diferente, e escolas e prédios públicos estão à mercê do vandalismo e da subtração de bens.
    Desta vez foi a EMEB “Prof. Washington Guedes Carneiro”, a ter seus portões arrombados e dezenas de objetos furtados que mesmo a escola adotando medidas preventivas, sistema eletrônico de abertura do portão principal, os objetos de valor todos bem acomodados e escondidos, ainda assim isso não refreou a sanha dos ladrões. Na noite de segunda, 05/04, para terça, muito provavelmente, entraram pelos fundos da escola, e levaram frigobar, televisor, data shows, vários DVDs de filmes infantis, talheres, objetos cotidianos de cozinha e caixas onde se acomodavam brinquedos e livros infantis. O objetivo, certamente, pelo valor intrínseco dos objetos, é a sua venda.
    Muros, portões, cadeados e alambrados, cujas escolas municipais todas possuem, não são suficientes para impedir invasões eventuais
    O Departamento de Educação vem fazendo a sua parte, ao procurar por sistemas de segurança, contratação de pessoal para rondas noturnas, aquisição de câmeras de monitoramento à distância, mas os entraves burocráticos são muitos, e vagarosos perante as leis que regulam a aquisição de equipamentos e admissão de mão de obra. Além de tudo, a vastidão perimetral da maioria das nossas escolas municipais é enorme, o que favorece a entrada desses roubos, particularmente durante a noite. Sabemos que, apesar disso tudo não ser um princípio absolutamente infalível para novos furtos, a ideia central das ações é coibir, moderar e mesmo reprimir a maioria dos ataques.
    O Diretor de Educação, Christian Freitas, a diretora da unidade, Ana Paula Manzini, estavam no local e acompanharam os trabalhos da Polícia Militar, que marcou presença, registrou Boletim de Ocorrência e o Cabo PM Pacheco ofereceu todo auxílio necessário para recuperar os bens.
    Não bastasse a enorme perda na EMEB “Washington”, enquanto ainda mal havíamos terminado esta matéria, acabamos de receber a infausta informação, pela Era Codogno, diretora, que a EMEB “Yvetthe Olintho Rehder”, também fora saqueada e toda a fiação da escola arrebatada. Os fios de cobre alcançam alto valor no mercado de produtos roubados. O valor dos prejuízos à escola e aos cofres públicos ultrapassa os R$ 40.000,00 (quarenta mil reais).
    A escola “Yvetthe” situa-se exatamente na rua atrás da “Washington; foi alvo, portanto, dos mesmos ladrões que, seguindo uma rota de fuga, e sentindo-se seguros nas suas práticas criminosas, acabaram por saquear as duas unidades em uma só noite.
    Rogamos à comunidade para denunciar qualquer informação sobre o paradeiro desse material que, certamente é propriedade e recurso indispensável para o bom funcionamento das EMEBs “Prof. Washington” e "Yvetthe Olintho".

    Incorporar: